Prévia da inflação desacelera e cai para 0,13% em julho

Imagem de mulher no supermercado olhando para celular e empurrando carrinho de compras

Navegue pelo conteúdo

Nesta terça-feira, 26/07,  foi divulgada a prévia da inflação oficial de julho que ficou em 0,13%, essa é a menor taxa desde junho do ano passado. Visto que em 2020 estava entre 0,69% e julho com 0,72%. O que puxou a desaceleração foi o teto nas alíquotas de ICMS, isso fez com que os preços de combustíveis e conta de luz caíssem.  

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a prévia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de julho. Neste mês a inflação desacelerou para 0,13%, sendo a menor variação mensal em dois anos. Além disso, o acumulado nos últimos 12 meses está com índice em alta de 11,39%. 

No entanto, essa meta continua acima do que foi estabelecido pelo Banco Central, que é para a inflação deste ano, de 3,5%. A margem de tolerância é de 1,5 pontos percentuais para mais ou para menos, variando entre 2% e 5%. Porém, o impacto da prévia da inflação de julho ocorreu por conta dos alimentos e bebidas, com alta de preços de 1,16%, ou seja, ficou acima do 0,25% da prévia de junho. 

Leite sofre com a inflação

Nas últimas semanas não faltaram memes e reclamações nas redes sociais por conta da alta do leite. Portanto, com os dados divulgados pelo IBGE mostrou que os alimentos ainda são os que mais colaboram para a inflação. Um exemplo disso é o leite longa vida que subiu 22,27% durante este período.

Deste modo, derivados do leite acabaram também sendo impactados pela inflação, como o requeijão 4,74%; manteiga, 4,25% e queijos 3,22%. Além disso, outros alimentos sofreram alta como frutas 4,03%, feijão-carioca 4,25% e pão francês 1,47%.

Deflação

Apesar da inflação dos alimentos, o IPCA de julho sofreu uma desaceleração por conta de alguns fatores que contribuíram para isso. Um deles foram os gastos relacionados aos transportes, havendo uma queda de 0,84%. Este resultado foi impactado pela redução de preços dos combustíveis que foi -5,01% a gasolina e o etanol -8,16%. O único aumento no setor de transportes foi nas passagens aéreas, que subiram 8,13%. 

Além disso, a energia também caiu por conta da redução do ICMS. Contudo, com a inflação desacelerada os preços não vão ficar mais baixos. Visto que isso apenas significa que eles estão subindo de forma mais lenta.

Continue acompanhando o Se Torne Investidor para mais dicas sobre economia!

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Populares

Assine nossa newsletter

Deixar o seu e-mail aqui te deixa um pouco mais perto da independência financeira. Bora enriquecer?

Simuladores Financeiros

Fique de olho
Você vai gostar

Utilizamos Cookies para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com nossa Política de Privacidade.