Nota de R$20: completa 20 anos, conheça a história e o que mudou?

Imagem de várias cédulas do real brasileiro, notas de 5,20, 50 e 100 reais

Navegue pelo conteúdo

Hoje as contas digitais estão se popularizando, no entanto, tem muita gente que ainda resiste em andar com dinheiro em cédula. Contudo, é cada vez mais raro encontrar pessoas que tenham dinheiro em papel na carteira. Entretanto, a nossa penúltima célula, criada pelo Banco Central brasileiro, completou 20 anos. Por isso, para celebrar e conhecer um pouco sobre a famosa cédula, preparamos um post especial sobre a nota de R$20.

Antes de tudo, você que tem menos de 30 anos, provavelmente não sabe, mas a unidade monetária do Brasil não foi apenas o real. Bem antes desta moeda o nosso país teve outras unidades como Mil Réis, cruzeiro, cruzeiro novo, cruzado, cruzado novo, e cruzeiro real. Contudo, por muito tempo era comum o governo vigente mudar o nome da moeda, um dos motivos para isso era a inflação.

Durante o governo de José Sarney que foi de 1986 a 1989 foram três trocas de moedas. No entanto, em julho de 1994, foi lançado o plano real. Ela foi a responsável pela eliminação da hiperinflação que o país vivia na época. O real é a moda que usamos há 28 anos, ela foi criada no governo de Itamar Franco.

A princípio, o real conseguiu reduzir drasticamente a inflação brasileira, no entanto, isso não foi o suficiente para garantir instabilidade na economia. Tanto que ainda vivemos problemas na área econômica. Em 2020, o governo brasileiro anunciou o lançamento de uma nova cédula de papel que faz agora parte da família real. A nota de R$ 200 que tem a estampa do lobo-guará, mas, a última vez que ganhamos uma cédula nova foi em 2002.

Nota de R$ 20

Ou seja, faz 20 anos que o governo brasileiro criou a nota de R$20, na época o presidente era Fernando Henrique Cardoso. Em 2002, o dólar bateu o recorde de cotação a R$ 3,95, olha como mudou? Visto que hoje estamos passando da casa dos R$ 5 reais. O Produto Interno Bruto (PIB) chegou a cerca de R$ 1,32 trilhão.

De acordo com especialistas do UOL, hoje se a nota de R$ 20 fosse corrigida pela inflação, valeria cerca de R$ 69. No entanto, não é isso que temos hoje, visto que a nota não compra quase nada. Naquele período o salário mínimo era de R$ 200 e hoje recebemos R$ 1.212. Portanto, o salário mínimo de 2002 representava apenas 1,65%, ou seja, era 10% de quem ganha o básico de hoje.

O que mudou em 20 anos?

Nesse sentido, podemos compreender que o supermercado ficou mais caro. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostrou que fazer compras para casa ficou 360% mais caro. Portanto, o poder de compra dos brasileiros diminuiu, visto que a inflação acumulada é de 254% pelo IPCA.

Os preços mudaram bastante, houve uma multiplicação dos produtos, ou seja, 4 vezes a mais. Recentemente, viralizou nas redes sociais um panfleto de supermercado daquele período, e podemos notar como tudo mudou. Tanto no preço, quanto na qualidade e quantidade dos produtos. Pagamos mais por menos! Um exemplo disso é um achocolatado de 500g que custava R$ 2,37, a mesma marca hoje diminuiu o frasco e contém 370g e custa R$ 7,19.

Entenda como a nossa economia mudou e busque saber mais sobre universo financeiro e econômico. Continue acompanhando o Se Torne Investidor para mais notícias sobre economia!

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Populares

Assine nossa newsletter

Deixar o seu e-mail aqui te deixa um pouco mais perto da independência financeira. Bora enriquecer?

Simuladores Financeiros

Fique de olho
Você vai gostar

Utilizamos Cookies para melhorar sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com nossa Política de Privacidade.